Hotel Unique, projetado pelo arquiteto Ruy Ohtake, destaca-se pela forma e o cobre na fachada.

2376 acessos

Desde o início de 2000, a construção de um volume inusitado chamava a atenção de quem transitava pela av. Brigadeiro Luiz Antonio, nas imediações do parque Ibirapuera, em São Paulo. A partir de setembro de 2002, o mistério revelou-se no Unique, hotel design projetado por Ruy Ohtake.

Por Coppermax 

Se a arquitetura do Hotel Unique é realmente única, também são únicos muitos dos elementos desenhados, projetados e construídos com engenhosidade para esta obra.

Das fachadas revestidas com lâminas de cobre ao túnel translúcido que conduz à cobertura, às soluções de fechamentos de vãos de portas e janelas, tudo no Unique tem personalidade própria.

O hotel fica em um corredor comercial, em meio a arborizada zona residencial, com gabarito máximo de 25 metros. É uma espécie de hotel design, com espaços diferenciados e atendimento personalizado.

Porém, ao contrário da adaptação de edifícios feita mundo afora pelo empresário Ian Schrager e o desginer Philippe Starck, o Unique foi inteiramente construído. Devido à sofisticação pretendida, o projeto atendeu a um pré-requisito que é um desafio e, ao mesmo tempo, o anseio de qualquer profissional do traço: ele teria, a todo custo, que destacar-se pela arquitetura. Dito e feito: ninguém fica indiferente ao volume criado.

Ohtake, ciente do risco, desafia e postula: “Inicia-se um projeto pela forma”. O corpo principal do hotel, que abriga os apartamentos, possui a forma de arco invertido, cuja associação imediata pode ser um barco. Ele está suspenso do solo e é revestido por placas de cobre com aberturas circulares.

O cobre tem se destacado como uma solução arquitetônica principalmente em projetos considerados de padrão mais elevado. Apesar de ter custo mais alto do que outros tipos de materiais, como alvenaria, os executivos que atuam no setor acreditam na expansão desse mercado, não apenas por razões estéticas - determinante em muitos casos - mas também por conta da sua durabilidade, o que reduz gastos de manutenção no longo prazo.

Ataíde Xavier, responsável técnico da empresa Coppermax, especializada na fabricação e instalação de painéis arquitetônicos para revestimento de fachadas e coberturas, ressalta que o cobre tem inúmeras vantagens em relação a outros produtos que podem compensar o investimento. "O nível de desperdício numa obra que utiliza o cobre é muito baixo", diz.

Ele ressalta que, por conta da durabilidade, os gastos com a manutenção são bem menores do que a alvenaria, por exemplo. "Além disso, o cobre é totalmente reciclável", ressalta o executivo da Coopermax, que atuou em construções como o Hotel Unique, em São Paulo, projetado pelo arquiteto Ruy Ohtake e considerado um marco arquitetônico pelos especialistas. O cobre foi usado na fachada do hotel.

Outra vantagem do uso de painéis de cobre, segundo ele, é no momento de manutenção e reforma, com um impacto bem menor do que numa construção com materiais mais tradicionais, que exigiriam uma pintura nova, por exemplo. "Por isso, o uso de painéis de cobre tem sido adotado em muitos hospitais", destaca o responsável técnico da Coopermax, que participou do projeto do Hospital Pró-Criança, do Rio de Janeiro.

As propriedades antibactericidas do cobre também estimulam o seu uso, como na instalação de lâminas de cobre nos guichês e corrimões de acesso ao estacionamento do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo. Foram instalados 100 metros de corrimões com revestimento em lâminas de cobre.

Confira mais imagens dessa obra, abaixo:

Fonte: Furlan Engenharia

.

A Coppermax destaca-se, no mercado brasileiro, em sistemas de fachadas, coberturas, paisagismo e revestimentos especiais utilizando cobre, titânio, alumínio, inox e aço cortén.